Os advogados de defesa do diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, vão tentar libertá-lo em uma nova audiência de pedido de fiança na quinta-feira, propondo condições restritas como o uso de uma tornozeleira eletrônica, disse a CNN.

“Parece que a defesa voltará ao tribunal amanhã para pedir fiança para seu cliente”, disse o especialista legal Jeff Toobin à CNN. “Eles acreditam ter um pacote que será aceito pelo tribunal”, acrescentando que as “condições restritivas” incluiriam “tornar sua fuga dos Estados Unidos impossível”.

O diretor-gerente do FMI enfrentará uma nova audiência na sexta-feira, quando espera-se que haja uma decisão do júri sobre as acusações de agressão sexual e tentativa de estupro em um hotel de Manhattan.

Um juiz de Nova York negou fiança a Strauss-Kahn na segunda-feira apesar da oferta de US$ 1 milhão em dinheiro, alegando que o político francês poderia fugir. A França e os EUA não têm acordo de extradição.

Mas Toobin disse que as propostas da defesa para fiança incluem “não sair de apartamento, quarto de hotel ou escritório; uma grande soma de dinheiro e a entrega do passaporte.” As informações são da Dow Jones.