O apoio do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, no Parlamento do país diminuiu após resultados finais mostrarem que a oposição conservadora consolidou seu domínio no poder legislativo em uma votação neste sábado. A votação teve grande participação em um sinal de suporte para a liderança religiosa do país em sua confrontação com o Ocidente sobre o controverso programa nuclear iraniano.

Dos 65 assentos abertos na eleição de ontem, a oposição obteve 41 e os apoiadores de Ahmadinejad conseguiram apenas 13. Os independentes ficaram com 11 assentos, de acordo com os resultados divulgados neste sábado pela imprensa estatal. A oposição já havia conseguido a maioria dos 290 membros em uma eleição feita em março.

A votação é uma nova humilhação para Ahmadinejad, cujo enfraquecimento político começou no ano passado, com sua dura mas fracassada disputa com o líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, sobre a escolha do diretor de inteligência iraniano. No país o presidente e a legislatura são subordinados a figuras religiosas como Khamenei.

O novo Parlamento iniciará suas sessões no fim de maio. O poder legislativo não tem controle direto sobre assuntos exteriores e de segurança, como o programa nuclear, mas pode influenciar essas questões e também a corrida para sucessão de Ahmadinejad. O atual presidente é proibido pela Constituição do país de tentar um terceiro mandato consecutivo e terá de deixar o cargo no próximo ano. As informações são da Associated Press.