O líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, disse hoje que alguns aspectos da viagem de Hassan Rohani para Nova York no mês passado foram “inapropriados”, mas reiterou seu suporte à política de aproximação do Ocidente adotada pelo presidente.

Os comentários de Khamenei, resumidos neste sábado em seu site khamenei.ir, surgem depois que duras críticas – comandantes da Guarda Revolucionária afirmaram que o presidente iraniano foi longe demais – foram feitas à conversa telefônica de 15 minutos entre Rohani e Barack Obama, um gesto destinado a acabar com três décadas de distanciamento entre os dois países.

Mas Khamenei também afirmou que os norte-americanos não são “confiáveis”. Embora não se oponha a conversas diretas com os EUA para resolver o impasse nuclear do Irã com o Ocidente, o aiatolá disse que não estar otimista. “Nós apoiamos as medidas diplomáticas do governo, incluindo a viagem a Nova York, porque temos fé (nele)”, declarou ele. “Mas parte do que aconteceu em Nova York não foi adequado”, ponderou.

“Estamos céticos em relação aos americanos e não temos confiança neles de modo nenhum. O governo americano não é confiável, é arrogante, ilógico e quebra promessas. É um governo capturado pela rede internacional de sionismo”, disse Khamenei, que tem a palavra final em todas as questões de Estado. Fonte: Associated Press.