Um grupo extremista ligado à Al-Qaeda no Iraque assumiu, nesta quarta-feira, a autoria dos sangrentos ataques que deixaram dezenas de mortos em todo o país um dia antes.

Em comunicado postado num site militante, o Estados Islâmico do Iraque diz que os carros-bomba e outros ataques foram uma revanche pela execução e os “massacres” de presos sunitas condenados que cumprem pena em prisões iraquianas.

A maior parte dos quase 20 ataques realizados na terça-feira, véspera do 10º aniversário da invasão de 2003, liderada pelos Estados Unidos, teve como alvo áreas xiitas em Bagdá.

Os ataques matarem 65 pessoas e deixaram mais de 200 feridas, mostrando o quão perigosamente dividido o Iraque permanece mais de um ano depois da retirada das tropas norte-americanas.

O comunicado da Al-Qaeda advertiu o governo, liderado por xiitas, a interromper a execução de prisioneiros sunitas ou “esperar mais eventos ruins…e mares de sangue”.

“O que atingiu vocês na terça-feira foi o primeiro pingo da chuva e a primeira fase…do que será seguido por mais vingança”, diz a mensagem.

Também nesta quarta-feira, um carro bomba explodiu durante o horário de pico no leste de Bagdá, matando dois civis e ferindo outros quatro, informou a polícia. As informações são da Associated Press.