O segundo homem na hierarquia da rede extremista Al-Qaeda conclamou os muçulmanos de todo o mundo a apoiarem o grupo islâmico Hamas com armas, dinheiro e ataques contra alvos americanos e israelenses ao mesmo tempo em que pediu à organização palestina que se una aos combatentes sagrados da Al-Qaeda depois da tomada da Faixa de Gaza.

A gravação em áudio atribuída ao médico egípcio Ayman al-Zawahiri, braço direito de Osama bin Laden, foi divulgada em uma página na internet conhecida por divulgar mensagens de grupos extremistas islâmicos. A mensagem marca uma mudança no posicionamento da Al-Qaeda com relação ao Hamas. No passado, a entidade liderada por Bin Laden criticou o grupo palestino por este ter aceitado participar de um governo junto com o Fatah, uma facção apoiada pelos Estados Unidos.

A divulgação do áudio parece ter como objetivo capitalizar as vitórias recentes do Hamas e tende a alimentar temores de que Gaza torne-se um terreno apto ao surgimento de novos extremistas armados. Entretanto, o Hamas pareceu desconfortável com a mensagem de al-Zawahiri. No passado, o grupo palestino mostrou-se desinteressado nas tentativas de ser cooptado pela Al-Qaeda. O Hamas alega que seu conflito é com Israel e que não possui planos de atacar outros alvos. Além disso, o Hamas parece ter o interesse de não entrar em rota de colisão com países árabes poderosos, como o Egito.