O furacão Irene atingiu hoje a costa de Nova Jersey, nos Estados Unidos, com ventos de 75 quilômetros por hora. O furacão, que já matou oito pessoas e deixou 3 milhões de casas sem energia na Carolina do Norte e na Virginia, está enfraquecido, mas ainda segue perigoso. O Irene tem uma enorme envergadura de 805 quilômetros e ameaça 65 milhões de pessoas na costa leste dos EUA, o maior número de americanos já afetados por uma única tempestade.

Hoje, Nova York estava quieta, paralisada depois de todo o sistema de trânsito ter sido fechado por causa do clima pela primeira vez na história. Todos os aeroportos da cidade foram fechados, com mais de 9 mil voos cancelados. Os shows da Broadway, jogos de beisebol e outros eventos foram cancelados ou adiados.

“O momento de as pessoas saírem acabou. Todos agora devem ficar dentro de suas casas e permanecer lá”, alertou ontem o prefeito de Nova York, Michael Bloomberg. Na Times Square, as lojas fecharam suas janelas e sacos de areia foram posicionados do lado de fora. Os trabalhos de construção no World Trade Center foram paralisados.

Os táxis, porém, continuavam a postos. “Eu tenho que trabalhar. Perderia dinheiro demais”, disse o taxista Dwane Imame, que trabalhou durante a noite. “Tem muita gente, fiquei surpreso. Eles são loucos de saírem com esse tempo.”

O Centro Nacional de Furacões disse que o Irene estava 160 quilômetros a sul-sudoeste da cidade de Nova York, movendo-se a norte-nordeste a 30 km/h. No começo do dia, a tempestade tinha ventos de 120 km/h, depois de ter chegado a 161 km/h na sexta-feira. As informações são da Associated Press.