O xeque Saqr bin Mohammed Al Qasimi, dirigente do emirado Ras al Khaimah e um dos monarcas que estava havia mais tempo no poder no mundo, morreu hoje aos 90 anos, informou a imprensa estatal. A agência estatal WAM não deu detalhes sobre a morte.

O monarca foi substituído por seu filho, o xeque Saud Bin Saqr Al Qasimi, coroado príncipe há sete anos, provocando uma disputa familiar. Al Qasimi tomou controle do emirado mais ao norte da região em um sangrento golpe de Estado no final dos anos 1940, décadas antes de que os Emirados Árabes Unidos se tornassem um país. Ele integrava a dinastia que tem dominado a área desde o século XVIII.

O emirado, um dos sete que formam a nação, é muito menos desenvolvido que Dubai ou Abu Dabi. Apesar disso, tem buscado aumentar os investimentos estrangeiros ultimamente, ao lançar uma companhia aérea e desenvolver indústrias básicas como a produção de cerâmica, além de iniciar diálogos com construtoras.

Após os atentados de 11 de setembro de 2001, o emirado captou a atenção internacional por ser o lugar onde nasceu Marwan al-Shehhi, que dirigiu o voo da United 175 contra a torre sul do World Trade Center, em Nova York.