O Conselho Supremo Eleitoral (CSE) anunciou ontem à noite que a aliança sandinista vencia as eleições municipais. A situação tinha 50% dos votos, contra 42% da coalizão opositora, quando haviam sido divulgados os resultados de 39% das seções, em 137 dos 146 municípios nicaragüenses. Centenas de sandinistas saíram às ruas para comemorar, com bandeiras nas cores vermelho e preto.

Segundo os resultados, o tricampeão mundial de boxe Alexis Argüello, candidato à prefeitura de Manágua pela Frente Sandinista de Liberação Nacional (FSLN), tinha vantagem de 52,21%, ante 45,29% dos votos para o candidato da coalizão Partido Liberal Constitucionalista, Eduardo Montealegre, com 21,36% das seções apuradas. Montealegre rebateu os dados, afirmando que, com 40% das urnas apuradas, ele tinha mais de 50% dos votos. Ele qualificou como “um ato manipulado e arranjado” o anúncio parcial do CSE.

O presidente Daniel Ortega votou ontem, às 17 horas (hora local), para mostrar aos oposicionistas que não havia seções fechadas antes da hora. A oposição chegou a denunciar essa manobra para garantir uma vitória dos sandinistas. Ortega acusou ainda alguns meios de comunicação de fazerem “campanha aberta” contra Argüello.

Montealegre utilizou sua própria caneta para votar. Havia rumores de que as canetas disponibilizadas pelo órgão eleitoral eram importadas da Venezuela e tinham uma tinta que depois desaparece. O CSE considerou a acusação ridícula.

Um porta-voz da aliança oposicionista disse que houve problemas pontuais em algumas cidades, mas o quadro geral era de normalidade, com “raras exceções”.