A Arábia Saudita disse ter acolhido cerca de 2,5 milhões de sírios desde o início do conflito. Esta foi a primeira resposta oficial diante de alegações de que os Estados do Golfo devem fazer mais para resolver a situação dos refugiados sírios.

Segundo a agência oficial de imprensa saudita, um funcionário não identificado do Ministério das Relações Exteriores disse na sexta-feira que o reino não considera os acolhidos como refugiados e não os abriga em campos “de modo a garantir a dignidade e segurança”.

Eles são livres para se mover ao redor do país e várias pessoas que optaram por permanecer têm recebido o estatuto de residência, afirmou a agência, ao ressaltar que a Arábia Saudita tem oferecido acesso ao trabalho, escolas e assistência médica gratuita. Não foram dados detalhes sobre quantos sírios permanecem no país. Fonte: Associated Press.