Os ministros de Planejamento da Argentina, Julio de Vido, e da Economia, Amado Boudou, anunciaram hoje o fim dos subsídios estatais para vários setores do país. Segundo assessores dos dois ministros, o corte dos subsídios será de 100% para bancos, companhias financeiras e de seguros, cassinos e aeroportos.

Para os demais setores, como de energia e transportes, que representam o maior volume de recursos, será criada uma comissão para revisar e adaptar cada situação específica. Essa medida era indicada por economistas e analistas do país como forma de ampliar a receita e reduzir o gasto público.