O número de mortes causadas pela onda de violência que tomou conta do Quênia subiu para 250, depois que um grupo de manifestantes colocou fogo em uma igreja em Eldoret, a 300 quilômetros de Nairóbi, capital queniana. Cerca de 50 pessoas foram queimadas vivas, a maioria crianças que usavam o local como abrigo.

A explosão de violência começou no domingo, após a posse do presidente Mwai Kibaki. A oposição, liderada por Raila Odinga, acusa Kibaki de ter fraudado as eleições e de ser responsável pela fúria da população.