Pelo menos nove pessoas morreram neste domingo após um ataque de um avião americano não-tripulado na província de Al Bayda, ao sudeste da capital iemenita.

Testemunhas da região informaram à Agência Efe que cinco combatentes da rede terrorista Al Qaeda morreram no bombardeio, enquanto um dirigente tribal assegurou que os mortos eram todos civis.

Abdullah al Sania, um das testemunhas, explicou que o ataque foi lançado contra um grupo de homens armados na zona de Al Manasih, situada no norte da cidade de Radaa, a cerca de 270 quilômetros ao sudeste de Sana, onde os corpos de cinco supostos integrantes da Al Qaeda foram encontrados.

No entanto, um dirigente tribal de Radaa, que pediu para não ser identificado, disse à Agência Efe que “o bombardeio matou nove cidadãos inocentes sem qualquer relação com a Al Qaeda”.

Segundo esta fonte, o ataque do avião americano estava possivelmente dirigido contra o veículo de Abdelrauf al Dahab, um integrante da Al Qaeda, que, por sua vez, conseguiu escapar do bombardeio.

Os aviões não tripulados americanos, que respaldam as autoridades iemenitas em sua luta contra o grupo terrorista no Iêmen, efetuaram dezenas ataques deste tipo nos últimos meses.

A ofensiva mais recente, ocorrida na última sexta, causou a morte de oito integrantes da Al Qaeda na província de Hadramut, no sudeste do país, entre eles um dos dirigentes da organização no Iêmen, Khalid Batis.