Um avião não tripulado e teleguiado dos Estados Unidos deixou cinco mortos hoje no noroeste do Paquistão, informaram funcionários da inteligência do país, no mais recente ataque desse tipo contra extremistas da Al-Qaeda e do grupo fundamentalista Taleban, que têm seus esconderijos na região.

Também no noroeste paquistanês, quatro insurgentes atacaram um complexo da polícia e mataram dois policiais. Em outro incidente, atiradores emboscaram caminhões que levavam combustíveis para as tropas dos EUA e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) que lutam contra o Taleban no vizinho Afeganistão, ferindo um motorista e o ajudante dele, informou a polícia.

Quatro mísseis norte-americanos foram disparados de um drone (avião teleguiado e não tripulado) contra uma base no Waziristão do Norte, uma região onde os EUA concentraram a maioria das suas ações militares no Paquistão nos últimos meses, disseram os funcionários, que falaram sob anonimato. A identidade dos cinco mortos não foi revelada.

O Waziristão do Norte é uma das regiões mais perigosas para a imprensa, e os EUA não reconhecem que realizam ataques dentro da fronteira paquistanesa, uma vez que o governo do país é aliado de Washington na luta contra o extremismo islâmico.

Em outubro ocorreram pelo menos 21 ataques suspeitos de mísseis lançados pelos norte-americanos na região paquistanesa próxima à fronteira com o Afeganistão. Além de centenas de militantes da Al-Qaeda e do Taleban, o Waziristão do Norte também abriga militantes islamitas de outro movimento, o Haqqani.

Já na cidade de Swabi, insurgentes atacaram um complexo da polícia paquistanesa. A tentativa de invasão do local causou um tiroteio, no qual dois policiais e dois insurgentes foram mortos, disse o policial Abdullah Khan. Segundo ele, um dos agressores vestia um colete de homem-bomba suicida.

A emboscada aos caminhões da Otan aconteceu perto da cidade de Peshawar, no noroeste paquistanês. Atiradores abriram fogo contra os caminhões na rodovia, ferindo um motorista e o assistente, disse o policial Nisar Khan. As informações são da Associated Press.