Um ataque por um grupo rebelde matou quatro pessoas na região sul do Sudão, segundo informou hoje o coronel Philip Aguer, um porta-voz das Forças Militares do país. A notícia sobre o ataque foi divulgada um dia antes de os sudaneses do sul decidirem, por meio de um referendo, se querem ter um país independente do norte, onde fica a capital Cartum.

Aguer informou que forças leais ao líder rebelde Gatluak Gai atacaram um grupo ligado ao Exército para Libertação do Povo na noite de sexta-feira no Estado Unidade, uma rica área produtora de petróleo. O porta-voz disse que um contra-ataque das forças do Exército para Libertação matou quatro e feriu outros seis membros do grupo de Gai.

Os Estados do sul do Sudão travam há décadas uma guerra civil com o norte. No domingo, quase 4 milhões de sulistas sudaneses irão às urnas para votar contra ou a favor da independência do sul do Sudão, formado por várias províncias pobres e remotas, porém ricas em petróleo e recursos naturais. Os sudaneses sulistas, de cultura africana e religiões nativas ou cristãs, desejam ficar independentes do norte do Sudão, onde a maioria da população é de cultura árabe e religião islâmica. As informações são da Associated Press.