Um funcionário do partido governista do Sudão do Sul afirmou hoje que o número de mortos em um ataque rebelde ocorrido na semana passada subiu para 197. Anteriormente, havia 105 mortes confirmadas.

O secretário-geral do Movimento de Libertação dos Povos do Sul, Pagan Amum, acusou ainda o governo de Cartum de apoiar o líder rebelde George Athor, apontado como responsável pelo ataque. Ele qualificou a ação da semana passada como “um massacre”.

Amum disse que os grupos rebeldes são bem financiados, armados e enviados ao sul pelo governo central do Sudão. A acusação ocorre um mês após o sul do país decidir em referendo se separar do norte. A divisão oficial deve ocorrer em julho. As informações são da Associated Press.