Quatro policiais morreram vítimas de um suicida na Chechênia, hoje, informaram autoridades locais. Magomed Diniyev, porta-voz do Ministério do Interior checheno, disse que a explosão aconteceu por volta do meio-dia num posto de gasolina na cidade de Mesker-Yurt, a cerca de 20 quilômetros ao sudeste da capital. Um policial e dois civis ficaram feridos após a explosão, informou o ministério.

Este é o último ataque de uma onda crescente de violência contra a polícia e soldados no Cáucaso do Norte. Pelo menos 25 pessoas morreram num ataque suicida com um caminhão-bomba realizado em 17 de agosto contra uma delegacia de polícia na Ingushetia. Rebeldes separatistas e tropas russas participaram de duas guerras na Chechênia nos últimos 15 anos, mas pequenos confrontos ainda ocorrem.

O presidente da Chechênia, Ramzan Kadyrov, pediu que os chechenos não permitam que seus filhos se unam às milícias e que informem o que souberem sobre atividade militante. “Eu peço a todos os moradores da república que estejam alerta e atentos. Não permitam que as fileiras dos bandidos cresçam, não deem a eles seu filhos – afinal, você os criaram para a vida, para a felicidade”, disse Kadyrov. Os militantes não “têm honra, valor, vergonha, terra natal”, disse ele. “Eles traíram seu povo”.