Pelo menos duas pessoas morreram e outras 16 ficaram feridas após um atentado nesta quinta-feira (13) a uma base da Otan em Candahar, no sul do Afeganistão. O local foi atingido pouco depois da visita do secretário de Defesa dos Estados Unidos, Leon Panetta.

Segundo as forças de segurança afegãs, a explosão foi causada por um homem que estacionou um carro-bomba próximo à entrada da base. Os mortos eram civis que passavam pelo local, enquanto três soldados estrangeiros estão entre os feridos.

As informações não foram confirmadas oficialmente pela Otan. O gabinete de Panetta informou que não havia indicações de que o secretário era o alvo. Ele visitou a base de Candahar horas antes do ataque, em encontro com soldados americanos como confraternização de fim de ano.

O porta-voz George Little afirmou que o representante americano estava na capital Cabul, onde se encontrará com o presidente afegão, Hamid Karzai. Panetta chegou ao Afeganistão na quarta (12), em uma viagem surpresa para se reunir com altos comandantes das tropas.

Retirada – Ele afirmou que o objetivo central da viagem é debater as propostas preparadas pelo General John Allen, chefe das operações no Afeganistão, para a retirada e deslocamento das tropas –a guerra deve terminar em dezembro de 2014.

Conforme Panetta, o presidente Barack Obama vai analisar as alternativas nas próximas semanas. Segundo o “New York Times”, Panetta disse que somente após as decisões sobre o tamanho das forças é que Obama vai definir a taxa de remoção dos próximos dois anos para atingir esse número.

Qualquer presença contínua por parte dos EUA após 2014 -possibilidade que deverá ser negociada com o governo afegão- será focada no treinamento e apoio às forças de segurança afegãs.

Também é provável que seja incluída uma pequena força antiterrorismo para monitorar a rede terrorista Al Qaeda e outros líderes rebeldes.