Três soldados norte-americanos e quatro meninas paquistanesas figuram entre as oito pessoas mortas em uma explosão ocorrida hoje perto de uma escola para garotas no noroeste do Paquistão, informaram autoridades locais. Sessenta e cinco pessoas ficaram feridas, principalmente meninas que se preparavam para a reinauguração da escola e jornalistas que cobriam o evento.

 

Trata-se, aparentemente, da primeira vez que soldados norte-americanos morrem em um ataque do gênero no Paquistão. A Embaixada dos EUA em Islamabad não comentou o assunto. Além dos três soldados norte-americanos e das quatro meninas, um paramilitar paquistanês perdeu a vida no episódio, disseram autoridades civis e militares locais. As crianças mortas tinham entre 10 e 15 anos de idade.

A escola para meninas já havia sido atacada no início do ano passado. Na ocasião, a instituição de ensino foi totalmente destruída no ataque. Nos últimos meses, uma organização assistencial estrangeira se encarregou da reconstrução da escola, estabelecida no vilarejo de Koto, na região montanhosa de Balambat, a cerca de dez quilômetros de Taimargara, a principal cidade do distrito do Baixo Dir.

No momento da explosão de hoje, soldados norte-americanos encarregados de treinar paramilitares paquistaneses viajavam em um comboio conjunto com forças de segurança, autoridades locais e jornalistas para a cerimônia de início das aulas na escola.

O atentado, atribuído a militantes islâmicos, ocorreu em uma região onde o exército paquistanês desencadeou, no ano passado, uma ofensiva contra muçulmanos fundamentalistas. “As instalações da escola foram danificadas e três veículos, destruídos”, lamentou o chefe de polícia do distrito, Mumtaz Zarin. As informações são da Dow Jones.