O Afeganistão teve uma terça-feira sangrenta no começo do feriado muçulmano xiita da Ashura, que para os seguidores do ramo xiita do Islã marca a morte de Hussein, neto do profeta Maomé. Um homem-bomba se explodiu em meio a uma multidão de peregrinos xiitas em uma mesquita em Cabul pela manhã, matando pelo menos 56 pessoas, incluídas crianças. Na cidade de Mazar-i-Sharif, no norte afegão, outro atentando, feito com uma bomba, matou mais quatro pessoas. Foi a maior série de ataques sectários contra a minoria xiita afegã desde o final do regime do Taleban, em 2001, que era islâmico sunita e perseguia os xiitas. O grupo fundamentalista, contudo, negou a autoria dos ataques de hoje.

Um terceiro ataque feito com uma bicicleta bomba matou uma pessoa em Kandahar, no sul afegão. Mas a polícia afirma que esse atentado não foi sectário e matou um sunita. Ataques sectários contra a minoria xiita são raros no Afeganistão, pelo menos após 2001, embora sejam frequentes no vizinho Paquistão. Nenhum grupo assumiu a responsabilidade pelos atentados.

Em Cabul, o suicida se explodiu em meio a um multidão de homens, mulheres e crianças que se aglomeravam na entrada da mesquita de Abul Fazi. Mahmud Khan, responsável pelo santuário, afirma que a multidão aguardava no pátio para entrar na mesquita quando aconteceu o ataque. Alguns homens se auto flagelavam, em um ritual praticado na Ashura para lembrar a morte de Hussein, enquanto alimentos eram distribuídos entre a multidão. “Foi uma explosão muito poderosa”, disse Khan. “Foi um desastre, horrível. Corpos ensanguentados, misturados com a comida, se espalharam por tudo”. Sobreviventes com as faces cobertas de sangue gritavam em meio ao caos.

O Ministério da Saúde do Afeganistão afirmou que 56 pessoas foram mortas, incluídas duas mulheres e quatro crianças. Sayed Kabir Amiri, responsável pelos hospitais de Cabul, disse que mais de 160 pessoas ficaram feridas. Foi o mais mortífero ataque individual em Cabul em três anos.

Outros quatro xiitas foram mortos na cidade de Mazar-i-Sharif, no norte afegão. Uma bomba foi jogada contra um comboio de xiitas que seguiam para um santuário, matando quatro pessoas. O porta-voz do Ministério da Saúde, Sakhi Kargar, informou o número de mortos e disse que 21 pessoas ficaram feridas.

As informações são da Associated press e da Dow Jones.