Pelo menos nove pessoas ficaram feridas e um suspeito foi morto nesta segunda-feira, 28, pela polícia em um ataque contra o câmpus da Universidade Estadual de Ohio State, nos Estados Unidos.

O alerta inicial da universidade avisava sobre um “atirador ativo”, mas fontes policiais informaram à emissora NBC que alguns estudantes foram feridos a navalhadas. Além disso, algumas testemunhas disseram à NBC que algumas das vítimas foram atropeladas por um veículo. Por isso, está cada vez mais claro de que não se tratava de um ataque a tiros.

Os feridos, vários em situação grave, foram transferidos a hospitais locais, segundo informou um porta-voz do Corpo de Bombeiros à NBC e ao canal local 10TV.

Ambos os veículos de imprensa afirmaram, citando fontes policiais, que um “suspeito” foi morto pelos agentes. No entanto, ainda não há informações sobre quantos eram os envolvidos no ataque.

O Departamento de Emergência da universidade anunciou pelo Twitter, duas horas depois do primeiro alerta, que o “cenário estava seguro” e os estudantes já poderiam sair dos locais onde tinham se abrigado. As aulas, porém, foram suspensas até o fim do dia.

As imagens ao vivo das emissoras locais mostraram uma grande presença de policiais e ambulâncias no câmpus. Outras escolas da região também entraram em alerta por precaução.

Por volta das 9h50 locais (11h50 em Brasília), a Universidade Estadual de Ohio divulgou um alerta sobre um “atirador ativo” no câmpus e pediu que os alunos não saíssem de onde estivessem. A universidade publicou outras mensagens pelo Twitter para avisar sobre a presença do atirador e pediu que todos seguissem as instruções da polícia.

O governador de Ohio, John Kasich, se pronunciou sobre o fato em sua conta no Twitter. “Os pensamentos e orações de Ohio vão para a comunidade Universidade. Estejam a salvo, ouçam os serviços de emergência”, escreveu. Autoridades locais deverão fornecer mais informações sobre o incidente.