Um atirador invadiu uma escola em Parkland, na Flórida, na tarde desta quarta-feira (14), e matou ao menos 17 alunos, e feriu outros 14. Segundo informações das autoridades norte-americanas, o suspeito foi preso. Segundo o consulado brasileiro em Miami, alguns brasileiros estudam na escola, mas nenhum está entre as vítimas.

O autor dos disparos se chama Nicolas de Jesus Cruz, e é ex-aluno do colégio, que tem classes de ensino médio. Segundo relatos, ele usava um máscara de gás no momento da ação. A mídia americana relata que o jovem seria um “menino difícil” e um estudante “problemático”. Ele também seria integrante de grupos pró-armas nas redes sociais, e teria participado de debates na internet sobre a fabricação de bombas.

Um dia antes do ataque, ele postou um vídeo em uma rede social afirmando que coisas ruins iriam acontecer nesta quarta-feira. O atirador teria invadido a escola onde estudam 3 mil alunos por volta das 14h30 – 17h30 no horário de Brasília. Os estudantes ouviram disparos e procuraram abrigo. Muitos usaram celulares para postar fotos nas redes sociais de barricadas montadas com mesas e cadeiras.

O presidente americano Donald Trump enviou condolências às famílias das vítimas em sua conta no Twitter: “Nenhuma criança, professor ou qualquer outra pessoa deveria se sentir inseguro novamente.”