A crise o Líbano se intensificou nesta terça-feira depois que dezenas de jovens ativistas ocuparam o Ministério do Meio Ambiente, exigindo a renúncia do ministro, em meio a uma crise do lixo, que aumentou para manifestações maiores. Centenas de pessoas também estão nas ruas em protestos contra a corrupção do governo.

As forças de segurança do Líbano tentaram arrastar os ativistas do Ministério do Meio Ambiente, no centro de Beirute. Pelo menos uma ativista, Lucien Bourjeily, ficou ferida.

O grupo de cerca de 30 manifestantes marcharam em direção ao ministério no início do dia, empurrando para trás os seguranças na entrada do edifício.

Os ativistas se sentaram no chão e bateram palmas, gritando palavras de ordem e pedindo a renúncia do ministro do meio ambiente, Mohammed Machnouk, que estava escondido em um escritório nas proximidades.

Protestos sobre o fracasso do governo para lidar com a crise do lixo evoluíram para as manifestações anti governamentais mais graves no Líbano em anos. Os manifestantes pretendem pôr o fim em toda uma classe política que tem dominado Líbano desde quando a guerra civil terminou, em 1990.

Os protestos têm atraído adeptos de todo o Líbano, refletindo a crescente frustração com o envelhecimento e com a classe política corrupta que não foi capaz de fornecer serviços básicos.

Bourjeily disse à Associated Press que os ativistas não irão sair do ministério enquanto o ministro não renunciar.

Na sequência de um enorme protesto no centro de Beirute, no sábado, os manifestantes emitiram diversas demandas, incluindo a demissão do ministro.

O ministro recusou-se a se demitir, renunciando apenas de um comitê do governo atribuído

para resolver a crise do lixo, que foi se acumulando por semanas desde que o governo fechou o aterro principal da cidade sem encontrar um substituto.

Até agora a única resposta ao crescente movimento de protestos foi uma promessa do presidente do Parlamento, Nabih Berri, de realizar conversas entre políticos do Líbano nos próximos dias. A primeira sessão de diálogo está marcada para o dia 9 de setembro. Fonte: Associated Press.