O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, definiu hoje como “um ato de maldade” e “horrendo” o massacre cometido no domingo (5) pelo jovem Devin Kelley, de 26 anos, que abriu fogo contra uma igreja no Texas.

Kelley matou 26 pessoas e feriu 20 na 1ª Igreja Batista de Sutherland Springs, a 45 quilômetros de San Antonio. As vítimas tinham entre 5 e 72 anos de idade, de acordo com um balanço informado hoje pelas autoridades locais. Ao menos 8 pessoas mortas pelo atirador eram da mesma família.

Maus tratos à família

devin arma

Aos poucos começam surgir informações sobre o obscuro atirador. Kelley serviu nas Forças Aéreas dos EUA de 2009 a 2013. Lotado na base de Holloman (Novo México), era encarregado de trabalhos de logística. Sua vida militar acabou quando, após uma corte marcial, foi condenado a 12 meses de prisão por violência contra sua esposa e filho. Saiu do corpo humilhado e com desonra.

Inclusive, estava separado da esposa por conta desses mal tratos. A baixa forçada e com agravante de agressão à família dificultou a obtenção de um emprego. Kelley chegou a dar aulas em colégios bíblicos. Há especulações que indicam que ele escolheu a igreja no Texas em função da recusa dos dirigentes de admiti-lo como professor.

Em crise na vida pessoal e profissional, Kelley se dedicou à paixão pelas armas. Em sua página no Facebook – atualmente tirada do ar – Kelley exibia uma foto portando um fuzil semiautomático.Era uma poderosa e metálica Rueger AR. Foi com este rifle que Kelley ceifou a vida de 26 pessoas no domingo.

‘Doença mental’

“O tiroteio no Texas foi cometido por um indivíduo que tinha problemas mentais, simplesmente um desequilibrado”, disse Trump, que está em visita ao Japão, parte de um giro pela Ásia.

Em uma coletiva de imprensa ao lado do primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, em Tóquio, Trump voltou a negar que a legislação de porte de arma nos EUA seja “o problema” dos massacres e tiroteios no país. “Temos muitos problemas de saúde mental no nosso país, mas esta não é uma situação ligada às armas”, ressaltou.

Um porta-voz das Forças Aéreas militares confirmou que Devin Kelley é um ex-soldado. Ele teria prestado serviço militar na base de Holloman, no estado do Novo México, em 2010. Depois, foi condenado em 2014 por “desonra”.  “É o pior episódio da história do Texas”, disse o governador do estado, Greg Abbott.