Autoridades britânicas se reuniram com o auxiliar do regime líbio Mohammed Ismail, em Londres, e passaram a ele uma “forte mensagem” de que o coronel Muamar Kadafi tem de deixar o poder, disse uma fonte do governo hoje.

Ismail, confidente do poderoso filho de Kadafi, Saif al-Islam, visitava sua família na capital britânica nos últimos dias quando o governo da Grã-Bretanha aproveitou a oportunidade para fazer contato. Informações sobre a reunião surgiram pouco depois do ministro de Relações Exteriores líbio Mussa Kussa ter inesperadamente viajado para a Grã-Bretanha na noite de quarta-feira e anunciado que estava deixando seu cargo.

“Mohammed Ismail estava visitando familiares na Grã-Bretanha e aproveitamos a oportunidade para enviar uma mensagem forte sobre o regime de Kadafi”, disse uma fonte do governo britânico à agência France Presse em condição de anonimato.

O jornal The Guardian informou que a reunião foi apenas uma das várias ocorridas nas últimas duas semanas entre representantes da Grã-Bretanha e da Líbia. Acredita-se que tenha sido discutida a possibilidade de uma saída estratégica para Kadafi.

O Ministério de Relações Exteriores britânico recusou-se a confirmar ou negar a visita de Ismail. “Não vamos fornecer uma descrição sobre nossos contatos com oficiais líbios”, disse um porta-voz. “Em todo contato que tivemos, deixamos claro que Kadafi deve sair, que encorajamos os que estão ao seu redor a abandonar este regime brutal e a abraçar um futuro melhor para a Líbia, que permita a transição política e uma reforma verdadeira que atinja as aspirações do povo líbio”, completou o representante do ministério. As informações são da Dow Jones.