O terremoto que atingiu o Haiti vai exigir grandes esforços de socorro, declarou hoje o secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon. “Enfrentamos uma grande emergência e serão necessários grandes esforços de socorro.” Dentre os que estão desaparecidos após o pior tremor registrado no país em mais de um século estão o chefe civil da Missão de Estabilização da ONU no Haiti (Minustah), o tunisiano Hedi Annabi e seu vice. Ban anunciou também que pretende visitar o empobrecido país caribenho “tão logo seja possível”.

“Informações sobre a extensão dos danos ainda são escassas”, disse. “Serviços básicos como água e eletricidade entraram em colapso quase total. Ainda temos de estabelecer o número de mortos e feridos, que acreditamos deve estar na casa das centenas”, afirmou Ban. O secretário-geral da ONU disse que vai enviar Edmond Mulet, secretário-geral adjunto do Departamento de Operações de Manutenção de Paz (DPKO) e antecessor de Annabi, para o Haiti.

De acordo com o chefe do DPKO, Alain Leroy, a morte de cinco pessoas foi confirmada do desabamento da sede da Minustah, um prédio de concreto de cinco andares conhecido como hotel Christopher e localizado na estrada para Petionville. “Mais de dez pessoas foram retiradas do prédio, algumas mortas, outras vivas.” John Holmes, chefe do escritório da ONU para Coordenação de Assuntos Humanitários, afirmou que o escritório vai lançar um rápido apelo por recursos e que já liberou US$ 10 milhões em ajuda emergencial.

Tropas brasileiras tentam retirar o maior número possível de pessoas do interior do prédio da Minustah em Porto Príncipe, informaram funcionários da ONU. A Minustah tem outra sede localizada perto do aeroporto e que serve como base logística. “Esta (base) também foi danificada, mas não seriamente”, disse Mulet. Segundo ele, um hospital argentino também não sofreu danos sérios e continua em operação, recebendo feridos.

A Minustah, que compreende 7.060 soldados e 2.091 policias, está no Haiti, país de 8 milhões de habitantes, desde meados de 2004. As informações são da Dow Jones.