O Banco do México decidiu elevar sua taxa de juros de referência em 0,25 ponto porcentual, para 7,0% ao ano. A decisão não foi unânime, tendo sido registrado um voto contrário.

Em comunicado divulgado ao fim da reunião de política monetária, a instituição informa que as expectativas de inflação para 2017 aumentaram, mas que as perspectivas de médio prazo continuaram abaixo de 4% e as de longo prazo permaneceram em 3,5%. “Se espera que a inflação geral alcance seu nível máximo nos próximos meses para depois retomar uma trajetória descendente”, pontuou o banco central mexicano, acrescentando que ainda que a inflação de 2017 fique consideravelmente acima do teto da meta, há a perspectiva de que retorne para o centro da meta de 3,0% até o fim de 2018.

O BC do México ainda informou que irá avaliar a posição monetária entre México e Estados Unidos e observou que, “diante dos riscos que seguem presentes”, manterá uma “postura monetária prudente”.

Na semana passada, o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) elevou os juros dos Fed funds em 0,25 ponto porcentual, para a faixa de 1,00% a 1,25%.