Brasília – O Banco Mundial anunciou o envio de US$ 10 milhões (R$ 16,9 milhões) ao Haiti para ajudar o governo a lidar com o aumento dos preços de alimentos, que causa violentos distúrbios no país. Arroz, milho, feijão, óleo de cozinha e outros mantimentos ficaram bem mais caros nos últimos meses, segundo a instituição.

Em relatório publicado recentemente, o banco aponta aumento de 181% no preço do trigo no mercado mundial em 36 meses e de 83% nos alimentos de maneira geral. As causas apontadas são a proteção e o subsídio para produção de biocombustível, o aumento no preço do diesel e dos fertilizantes, e as más condições meteorológicas em regiões que tradicionalmente são grandes produtoras.

Uma equipe da instituição vai visitar o Haiti nos próximos dias. O Banco Mundial informa, através de nota, que deu US$ 220 milhões para ajudar o país desde 2005. O anúncio do novo aporte foi feito no sábado (12).

Na última quinta-feira, países do mundo todo anunciaram a doação de US$ 5,7 milhões (R$ 9,6 milhões) para compra e distribuição de alimentos no Haiti, durante reunião do Programa Mundial de Alimentos (PMA) das Nações Unidas, em Roma. No dia seguinte, o Brasil enviou um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) com 14 toneladas de alimentos.