O órgão governamental britânico que está investigando o incêndio na aeronave 787 Dreamliner estacionada no aeroporto de Heathrow, em Londres, na sexta-feira, 12, afirmou que não há evidência de que ele tenha sido causado por um defeito da bateria.

A Divisão de Investigação de Acidentes Aéreos disse em comunicado neste sábado, 13, que estava claro que o incêndio no avião da Ethiopian Airlines ocorreu longe da área onde as baterias estão localizadas.

Os investidores na Boeing, que fabrica o avião, temiam que a empresa não tivesse conseguido resolver o problema de bateria que desencadeou a paralisação dos voos com o modelo 787 Dreamliner em janeiro. Fonte: Associated Press.