O ex-ditador tunisiano Zine El Abidine Ben Ali e sua esposa foram condenados hoje a 35 anos de prisão por apropriação indébita de recursos públicos, decidiu hoje a Justiça do país africano. O casal foi julgado à revelia, na corte criminal de Túnis.

Além da sentença de reclusão, Ben Ali foi condenado pelo juiz Touhami Hafi a devolver aos cofres públicos quantia equivalente a 25 milhões de euros. A esposa de Ben Ali, Leila Trabelsi, foi condenada a restituir cerca de 20 milhões de euros ao erário.

Zine Ben Ali e Leila Trabelsi saíram da Tunísia às pressas e fugiram para a Arábia Saudita em 14 de janeiro, no desfecho de um levante popular que serviu de estopim para uma série de revoltas pelo Oriente Médio e o Norte da África.

Depois da fuga, uma quantia estimada em cerca de 19 milhões de euros em joias e dinheiro foi encontrada somente em um de seus palácios, o que deu origem ao processo contra o casal. Após a divulgação da sentença, o juiz Touhami Hafi ordenou recesso até 30 de junho para que a defesa do ex-ditador possa se preparar para uma segunda acusação que ainda não foi julgada. As informações são da Dow Jones.