O ex-primeiro-ministro britânico, Tony Blair, teria faturado pelo menos 20 milhões de libras desde que deixou o cargo em junho de 2007. O jornal britânico Daily Mail revelou hoje que nos últimos dois anos ele teria travado uma batalha para manter em segredo um acordo lucrativo com a petrolífera norte-coreana UI Energy Corporation, além de um contrato de 1 milhão de libras pela prestação de consultoria à família real do Kuwait.

Blair teria conseguido convencer um comitê que avalia os trabalhos de ex-ministros a não revelar os acordos ao público durante 20 meses, afirmando que eles eram “comercialmente sensíveis”, publicou o diário. As informações foram divulgadas ontem, quando o Comitê Assessor sobre Nomeações em Empresas decidiu revelar os detalhes sobre os negócios do ex-primeiro-ministro.

As informações deram início a novas acusações de que Blair estaria ganhando dinheiro com seus contatos no Iraque e eleva as preocupações de que ele estaria usando sua função de enviado especial ao Oriente Médio para ganhos pessoais. Especula-se também sobre os ganhos de Blair com palestras, consultorias a bancos e governos estrangeiros, o adiantamento recebido por sua autobiografia, além da aposentadoria e outros bônus a que ele tem direito como ex-premiê. O volume total de ganhos de Blair é desconhecido porque ele montou uma complexa rede de empresas e parcerias que permitem que ele não torne público toda sua renda.

A UI Energy Corporation é uma das principais investidoras na região iraquiana do Curdistão. O segredo em torno da consultoria prestada por Blair levanta suspeitas porque a empresa costuma revelar quem são seus conselheiros políticos estrangeiros, dentre os quais estão o ex-primeiro-ministro australiano Bob Hawke e vários importante políticos norte-americanos, ressalta o Daily Mail.