Equipes de resgate salvaram um bombeiro que estava preso havia 32 horas, após atuar no combate ao fogo e às grandes explosões ocorridas na cidade portuária chinesa de Tianjin. Autoridades se apressavam nesta sexta-feira para lidar com o caso, mas ainda havia o risco de mais problemas causados pela fumaça de produtos químicos potencialmente perigosos.

Uma rápida sucessão de explosões ocorreu na noite de quarta-feira, uma delas equivalente à detonação de 21 toneladas de TNT. Pelo menos 50 pessoas foram mortas e mais de 700 se feriram, enquanto mais de dez bombeiros estão desaparecidos. Autoridades disseram que o fogo começou em containeres com materiais perigosos e fecharam o distrito onde ficava o depósito para evitar mais mortes.

Os bombeiros inicialmente responderam ao incêndio no depósito, mas aparentemente vários deles morreram por causa das explosões ocorridas 40 minutos após o incêndio ser reportado. Outros 13 bombeiros estão desaparecidos, segundo funcionários.

Um bombeiro foi resgatado da área na madrugada desta sexta-feira e levado ao hospital, onde era tratado com ferimentos no rosto, no peito e nos pés, informou a rede estatal CCTV.

Autoridades deram garantias à população, mas havia ceticismo com o risco de que as explosões pudessem ter contaminado o ar. Muitos moradores de Tianjin usavam máscaras para tentar filtrar o ar, nesta sexta-feira.

Um relato da imprensa chinesa sugeriu que a água usada para responder inicialmente ao fogo pode ter entrado em contato com um produto químico que explode em contato com a água. Um funcionário foi citado, porém, dizendo que isso não teria causado as explosões. Muitos dos carros de bombeiro vistos nas primeiras horas no local usam uma espécie de espuma para combater o fogo.

Autoridades não confirmaram ainda o que pode ter causado as explosões, informando apenas que elas começaram no depósito da Ruihai International Logistics. O site da empresa diz que ela está autorizada a manusear produtos químicos, entre eles gases e líquidos inflamáveis, inclusive alguns que explodem em contato com a água. Fonte: Associated Press.