O Brasil recebe amanhã, da Argentina, a presidência pro tempore do setor de Segurança e Justiça do Mercosul. O ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, assumirá o comando durante reunião de autoridades da área judiciária de países da América do Sul, que teve início hoje em Buenos Aires. Além do Brasil e da Argentina, participam da reunião representantes do Paraguai, Uruguai, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Peru e Venezuela.

O mandato brasileiro expira no dia 31 de dezembro de 2010. Até lá, Barreto pretende desenvolver um plano que imprima maior cooperação entre os órgãos de justiça e segurança entre os sócios do Mercosul e dos demais países da região. Além disso, o ministro brasileiro quer promover a troca de experiências e a implementação de modelos mais eficientes de cooperação entre os países nas duas áreas.

O encontro iniciado nesta manhã, denominado “Conferência: Justiça, Segurança e Direitos Humanos, os três eixos fundamentais para a integração do Mercosul”, vai contar ainda com dissertações de Barreto e Alak, no final desta tarde. Os ministros discutem assuntos relacionados ao aprofundamento de estratégias comuns de combate ao crime organizado transnacional, unificação da legislação penal e procedimentos judiciais no Mercosul e Estados associados.

Na agenda dos dois dias de reunião, também será discutida a adequação à Conferência de Haia sobre direitos humanos para que sejam estabelecidas normas de cooperação judicial, penal, administrativa e policial entre as nações da América do Sul.