A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos votou hoje pela transferência de prisioneiros de Guantánamo para o território norte-americano para que sejam julgados. Líderes democratas no Congresso aprovaram a medida que faz parte de um projeto de lei de destinação orçamentária para segurança interna no valor de US$ 42,8 bilhões. Isso permitiu que um projeto mais amplo fosse aprovado (por 307 votos a favor e 114 contra) em vez da simples questão envolvendo Guantánamo.

A manobra parece ter funcionado. Dezenas de democratas, que duas semanas atrás votaram a favor de uma resolução contra a transferência de prisioneiros de Guantánamo, aprovaram hoje o projeto de dotação para a remoção dos detentos.

Os democratas da Câmara também impediram os esforços dos republicanos de impedir que os prisioneiros sejam enviados para os Estados Unidos. Alguns deputados republicanos se opõem ao fechamento da prisão por questões de segurança.

Obama assinou, em 22 de janeiro, uma ordem de fechamento de Guantánamo no prazo de um ano. Desde então a administração tem enfrentado obstáculos de legisladores nervosos sobre as implicações políticas de enviar os prisioneiros para o solo norte-americano.

Advogados do Departamento de Justiça concluíram a revisão dos casos de 221 prisioneiros que continuam em Guantánamo. O governo deve anunciar, até 16 de novembro, que prisioneiros devem ser julgados em tribunais civis ou por comissões militares, além discutir quais não podem ser julgados, mas devem permanecer detidos. A administração também busca acordos para que alguns países aceitem outra parcela dos prisioneiros. As informações são da Dow Jones.