Brasília – Até agora, foram realizadas duas prévias para a escolha dos candidatos dos partidos Democrata e Republicano à eleição presidencial nos Estados Unidos, que será neste ano. Mais algumas vão ser feitas em janeiro. No entanto, segundo o professor de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (UnB) Virgílio Arraes, a principal prévia será realizada no dia 5 de fevereiro, quando eleitores de 22 estados vão às urnas simultaneamente.

?Ainda que haja outras votações durante o mês de janeiro, dia 5 de fevereiro vai ser realmente o dia decisivo, conhecido como a superterça?, afirmou, em entrevista à Rádio Nacional. Isso porque envolve os estados da Califórnia, que tem o maior número de eleitores, e de Nova York.

Independentemente de quem sejam os candidatos democrata e republicano, Arraes acredita que o primeiro será favorito, por conta do desgaste do atual presidente, Geroge W. Bush, republicano. Ele destaca dois motivos.

O primeiro é que a economia norte-americana não tem crescido ?no ritmo necessário?. O segundo é a guerra do Iraque. De acordo com Virgílio Arraes, a ocupação dos EUA tem colaborado para o aumento dos preços do petróleo e dos combustíveis. ?Há um receio de que o preço do petróleo faça com que a economia americana não consiga crescer e, nesse sentido, os republicanos seriam vistos como fracassados na administração?, afirmou.

Na primeira prévia, realizada no estado de Iowa, Barack Obama ficou em primeiro pelos democratas, com 37,58%, seguido de John Edwards, com 29,75%, e Hillary Clinton, com 29,47%. Pelos republicanos, ganhou Mike Huckabee, com 40,84%, seguido por Mitt Romney, com 29,95%, Fred Thompson, com 15,9%, e John McCain, com 15,56%.

Em seguida, houve uma consulta em New Hampshire. No Partido Democrata, venceu Hillary Clinton, com 39%, seguida por Obama, com 36%, e Edwards, com 17%. Já no Partido Republicano, quem ganhou foi McCain, com 37%, seguido por Romney, com 32%, e Huckabee, com 11%.

A situação continua indefinida. Mas a julgar pelos resultados iniciais, esta vai ser a eleição das estréias, pelo menos entre os democratas. Barack Obama é o único afro-americano no Senado e o primeiro candidato negro com chances de chegar à presidência dos Estados Unidos. Hillary Clinton foi a primeira mulher eleita senadora pelo estado de Nova York e é a primeira com chances de ser nomeada candidata do partido. Além disso, quebrou um tabu na campanha para o Senado, pois nunca uma primeira-dama tinha concorrido a um cargo público.

Do lado dos republicanos, Arraes lembra que esta é a primeira vez, desde os anos 1920, em que nem o presidente nem o vice-presidente é candidato. ?Nesse sentido, esse é um momento novo?, afirmou.