A explosão de um carro-bomba neste sábado (16) perto do local onde uma reunião deve ser realizada na semana que vem para discutir o acordo de segurança de do Afeganistão com os EUA matou pelo menos seis pessoas e feriu 23, informaram as autoridades afegãs.

A força da explosão quebrou vitrines a centenas de metros de distância e virou vários veículos. O atentado ocorreu nas imediações da Universidade de Cabul, poucos dias antes do chamado Loya Jirga, ou Grande Conselho, que reunirá cerca de 2,5 mil delegados.

A reunião foi convocada pelo presidente afegão Hamid Karzai para discutir o acordo com os EUA sobre a presença militar norte-americana no Afeganistão, após a retirada definitiva das tropas internacionais, no final de 2014.

Os EUA e o Afeganistão têm discutido o acordo há vários meses, e uma proposta de texto do acordo teria sido concluída, conforme informou Karzai. O Taleban prometeu identificar os delegados do Loya Jirga como “traidores” se eles aprovarem o acordo e deixarem as tropas americanas permanecem no país.

Falando a jornalistas horas antes do ataque, Karzai convidou o Taleban e outro grupo insurgente, o Hezb-e-Islami, a fazer parte na assembleia. “Eu gostaria que eles participassem do Loya Jirga”, disse Karzai.

“Eles são povo do Afeganistão e têm o direito de participar nessas assembleias.” Karzai acrescentou que, se o Loya Jirga se opuser ao acordo, ele não vai assiná-lo.