A Casa Branca mobilizou-se ontem contra o anúncio de uma obscura igreja do Estado da Flórida que pretende realizar uma cerimônia de queima de exemplares do Alcorão, o livro sagrado do Islã, no dia 11. A fogueira teria como objetivo relembrar os ataques terroristas de 2001 nos EUA. O porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, declarou que a iniciativa colocará as forças americanas no Afeganistão em risco ainda maior, e o secretário de Justiça, Eric Holder, declarou que a queima do Alcorão seria “idiota e perigosa”.

Em Cabul, o comandante das forças dos EUA e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no Afeganistão, general David Petraeus, advertiu que a imagem dessas cópias em chamas “inflamará a opinião pública local” e levará extremistas no país a pregar a violência. Os EUA mantêm mais de 78 mil soldados na guerra do Afeganistão.

Com sede em Gainesville, Flórida, a igreja Dove World Outreach (Alcançar um mundo de paz) é liderada por Terry Jones, autor do livro The Islam is of the Devil (O Islã é do Demônio, em tradução livre). Jones manteve ontem seu compromisso de fazer uma fogueira com exemplares do Alcorão no sábado, apesar de não ter recebido uma autorização municipal e dos alertas feitos pelo governo americano, pelo Vaticano e pelo Irã. “Ainda estamos considerando (queimar o Alcorão) e orando por esse plano”, afirmou Jones. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.