O diretor nacional de inteligência dos Estados Unidos, David Gompert, criticou ontem as reportagens publicadas esta semana pelo jornal The Washington Post, que afirmam que as agências de segurança do país estão “fora de controle”. “As reportagens não refletem a realidade da comunidade de inteligência que nós conhecemos”, disse Gompert, em comunicado.

Ontem, na segunda reportagem da série, o Washington Post afirma que a iniciativa privada controla cada vez mais a segurança dos EUA, que passaram a ficar dependente de empresas contratadas para ajudar na luta contra o terrorismo e nas guerras do Iraque e do Afeganistão. O jornal deslocou dois de seus principais repórteres – Dana Priest e William Arkin – para investigar, durante dois anos, todo o sistema de segurança que surgiu nos EUA após os atentados de 11 de setembro de 2001.

O resultado provocou enorme repercussão nos EUA, que até então desconhecia estudos com tantas informações sobre o tema. Em sua primeira reportagem, que foi às bancas na segunda-feira, o jornal informou que existem “1.271 organizações governamentais e 1.931 companhias privadas trabalhando com contraterrorismo, segurança nacional e inteligência em cerca de 10 mil localidades nos EUA”.