Um tribunal chinês condenou à morte dois homens e outros 10 à prisão por causa do escândalo da contaminação do leite que envenenou crianças na China e obrigou a “recalls” de derivados do leite em todo o mundo.

Tian Wenhua, de 66 anos, ex-presidente da empresa de laticínios que foi o epicentro do escândalo, está entre os três condenados à prisão perpetua. Ela foi acusada de inicialmente acobertar a adulteração. Uma outra pessoa recebeu uma suspensão da condenação à morte, sentença que geralmente é mudada para prisão perpétua, enquanto outros seis receberam penas que variam de 5 a 15 anos de prisão.

No total, 21 pessoas foram a julgamento nas últimas semanas pelo envolvimento na fabricação ou venda do leite contaminado, que no ano passado matou pelo menos seis bebês e deixou outros 294 mil com pedras nos rins e problemas urinários. As informações são da Dow Jones.