Um tribunal de Xinjiang, região do oeste da China, condenou nesta quinta-feira mais seis pessoas à pena de morte pelos conflitos étnicos de julho, elevando o total de sentenciados a 12. Outras três pessoas livraram-se da pena capital no julgamento realizado em Urumqi, capital regional.

Na segunda-feira, outros seis acusados – todos da etnia uigur – foram condenados à morte e um foi sentenciado à prisão perpétua por causa do conflito. Os distúrbios de 5 de julho sacudiram a cidade e basicamente colocaram os muçulmanos da etnia uigur contra os membros da etnia han, predominante na China. Os distúrbios deixaram mais de 200 mortos e mais de 1.600 feridos. As informações são da Dow Jones.