O ministro de Defesa do Chipre, Fotis Fotiou, revelou neste sábado, 8, que pediu a ajuda da Grécia e de Israel para se livrar de uma enorme quantidade de munições descartadas do Exército que foram despejadas na costa sul do país entre 1980 e 1993. Ele disse que também recorrerá à Organização para Segurança e Cooperação na Europa.

Fotiou afirmou que há 167 tipos de munições descartadas pelos cipriotas, incluindo minas, granadas e bombas de artilharia no fundo do mar, mas não se sabe a localização exata. O ministro acrescentou que as autoridades agirão rapidamente para lidar com as munições porque, além representarem riscos aos pescadores e ao meio ambiente, elas também podem dificultar os planos para desenvolver os depósitos de gás natural recém-descobertos na costa sul do Chipre.