A força de paz da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) em Kosovo entrou em choque com manifestantes sérvios no norte da ex-província sérvia nesta terça-feira, deixando 11 feridos, disseram funcionários da aliança atlântica e do governo local.

A violência aconteceu perto de um disputado cruzamento na fronteira entre o Kosovo e a Sérvia, que já foi cenário de outros protestos violentos no passado.

O porta-voz da Otan, o tenente-coronel Kai Gudenoge, disse que os choques desta terça-feira começaram quando os manifestantes sérvios jogaram bombas incendiárias nas tropas de paz, ferindo quatro soldados. Isso levou os soldados a revidarem disparando nos manifestantes com munição de verdade. Um funcionário hospitalar disse que sete sérvios foram feridos a tiros, mas Gudenoge afirma que apenas um foi ferido a tiros.

A Sérvia se recusa a reconhecer a declaração da independência do Kosovo de 2008. A maioria da população kosovar é albanesa, mas os sérvios estão concentrados nos cantões do norte, perto da fronteira com a Sérvia. A disputa pelo controle e a posse dos cruzamentos e postos fronteiriços tem se intensificado nos últimos meses entre moradores sérvios, de um lado, e policiais kosovares albaneses e soldados da Otan de outro. A Otan tem atualmente 5.500 soldados no Kosovo, que também conta com uma força policial e militar europeia de 3.000 soldados e agentes.

A tensão nesta terça-feira começou após soldados alemães e norte-americanos da Otan terem fechado um cruzamento com a Sérvia, usado por sérvios étnicos para ir e voltar da Sérvia sem passar pelos postos de controle em poder dos kosovares albaneses. Um líder sérvio kosovar culpou os soldados americanos pela violência. “Eles atiraram com munição de verdade contra manifestantes e isso é intolerável. Nunca aconteceu antes”, afirmou Oliver Ivanovic. Os feridos sérvios foram levados a um hospital na região.

Não houve nenhum comentário das autoridades kosovares. O presidente da Sérvia, Boris Tadic, pediu mais diálogo para que sejam evitados esses incidentes.

As informações são da Associated Press.