Uma cidade no leste da China, que teve seu reservatório de água contaminado por um vazamento de uma indústria química, decidiu fechar 33 fábricas desses produtos, informaram nesta terça-feira (3) meios de comunicação estatais. Funcionários do governo da cidade de Yancheng, na província de Jiangsu, descobriram no mês passado que o reservatório de água da cidade de 1,5 milhão de habitantes havia sido contaminado por fenol, um produto químico usado na produção de resinas e plásticos, e foram forçados a cortar o fornecimento de água para centenas de milhares de pessoas.

Inspetores de meio ambiente descobriram que a fábrica vinha descartando ilegalmente o componente no rio Xinyanggang. O prefeito Li Qiang convocou uma entrevista coletiva para anunciar que 33 das 317 fábricas de produtos químicos da cidade serão fechadas, de acordo com a agência oficial de notícias Xinhua. “Algumas das fábricas serão compensadas para se transferirem para outro local e outras, cujas linhas de produção são antiquadas, serão fechadas”, disse o vice-prefeito Gu Jiadong.

Não está claro o critério de escolha das fábricas que serão fechadas. O prefeito afirmou que os moradores fizeram dezenas de queixas contra as empresas, mas nada havia foi feito, informou o jornal oficial China Daily, nesta terça-feira. A polícia deteve o representante legal e gerente da Biaoxin Chemical Co., a fábrica responsável pelo vazamento do mês passado.

No anos passado, poluentes pesados fizeram com que partes do rio Han, um afluente do Yangtze, na província central de Hubei, ficassem com a cor vermelha e cheias de espuma. O governo foi forçado a cortar o fornecimento de água para 200 mil pessoas. Em 2005, num dos piores casos de poluição em rios da China, produtos químicos foram derramados no rio Songhua. A cidade de Harbin, no noroeste do país, teve de interromper o fornecimento de água para 3,8 milhões de pessoas por cinco dias. O acidente também causou tensão nas relações com a Rússia, país para onde a água contaminada seguiu.