Uma experiência de US$ 2 bilhões conduzida a bordo da estação espacial internacional está prestes a explicar um dos mais misteriosos componentes do universo: a matéria escura, que ajuda a amalgamar o cosmos.

Uma equipe de cientistas de diferentes nacionalidades anunciou nesta quarta-feira que um detector de raios cósmicos encontrou o primeiro indício de matéria escura, que nunca antes havia sido diretamente observada.

De acordo com os cientistas, os primeiros resultados proporcionados pelo Espectrômetro Magnético Alfa, enviado ao espaço dois anos atrás, mostram evidências de um novo fenômeno da física que poderia ser essa matéria estranha e até agora desconhecida.

Samuel Ting, ganhador do Prêmio Nobel de Física e líder da equipe de cientistas no laboratório europeu de física de partículas nos arredores de Genebra, comentou que uma resposta mais conclusiva é esperada para daqui a alguns meses. As informações são da Associated Press.