O diretor de cinema francês Claude Chabrol, um dos fundadores do movimento Nouvelle Vague que revolucionou o cinema no final da década de 1950 e início dos anos 1960, morreu hoje aos 80 anos. A causa da morte do cineasta não foi divulgada.

Christophe Girard, responsável por assuntos culturais da prefeitura de Paris, anunciou a morte do diretor em seu blog. Outros funcionários da administração local confirmaram a notícia mas negaram-se a dar maiores detalhes, dentre eles a causa da morte de Chabrol.

Diretor prolífico, Chabrol fez mais de 70 filmes e produções para a televisão durante sua carreira de mais de 50 anos. Seu primeiro filme, “Nas Garras do Vício” (“Le Beau Serge”, 1958) foi aclamado pela críticas e é considerado uma espécie de manifesto da Nouvelle Vague, que também contou com a participação de Francois Truffaut e Jean-Luc Godard.

Seus filmes apresentavam uma visão crítica da burguesia, com foco nas fraquezas e na hipocrisia das pessoas. Seus principais filmes incluem “As Corças” (“Les Biches”, 1968) e “Trágica Separação” (“La Rupture”, 1970), além de “A Teia de Chocolate” (“Merci pour le chocolat”, 2000). O último filme de Chabrol, “Bellamy”, estreou no ano passado.