Companhias aéreas que operam na região da Nova Zelândia cancelaram voos que partiriam ou chegariam ao país hoje, além de adiar algumas rotas que seguiriam para a Argentina. O motivo são as cinzas do vulcão chileno Puyehue, que continuam a atrapalhar o tráfego aéreo.

No quinto dia seguido de problemas, a Qantas Airways cancelou todos os voos na Nova Zelândia hoje. Também adiou voos para Buenos Aires para amanhã. “Todos os serviços domésticos australianos estão operando normalmente”, informou um porta-voz da Qantas. Ontem, a companhia havia suspendido voos na cidade australiana de Perth.

Esses problemas são mais um revés para o setor, que já enfrenta custos mais altos de combustível para as aeronaves e o impacto nas viagens das inundações no Estado de Queensland, na Austrália, e do terremoto e tsunami ocorridos em 11 de março no Japão.

A Virgin Australia também cancelou voos para a Nova Zelândia hoje, porém retomou os voos em Perth. A Air New Zealand retomou seus voos no meio do dia (horário local), após cancelar viagens pela manhã que chegariam ou partiriam de Invercargill, Dunedin e Christchurch, em South Island, a principal ilha neozelandesa. A Air New Zealand tem voado a uma altitude mais baixa para evitar a cinza vulcânica, porém isso aumenta o consumo de combustível em cerca de 10%.

As cinzas vulcânicas podem permanecer sobre a Nova Zelândia até amanhã, previu Gordon Jackson, meteorologista supervisor da unidade de vulcões do Escritório Australiano de Meteorologia, na cidade de Darwin. Segundo ele, “parece que ela ficará lá por pelo menos mais 24 horas”.

Os levantamentos mais recentes do Centro de Alerta para Cinza Vulcânica de Wellington mostram que a cinza pode cobrir toda a costa leste da Nova Zelândia mais tarde hoje, porém a costa oeste não estará mais sofrendo com o problema. A cinza vulcânica é abrasiva e pode danificar os motores das aeronaves.

As grandes colunas de cinzas do vulcão Puyehue começaram a ser lançadas quando ele entrou em erupção, em 4 de junho, prejudicando voos na América do Sul e na Oceania. Todos os voos nos aeroportos de Buenos Aires foram retomados ontem. As informações são da Dow Jones.