Autoridades colombianas prenderam o ex-guarda-costas de um candidato presidencial colombiano que foi morto a tiros em um avião lotado há mais de duas décadas, acusando o policial de fazer parte do plano de assassinato.

O ex-líder rebelde Carlos Pizarro foi morto e 1990 quando um agressor abriu fogo durante voo.

Jaime Gomez, seu então guarda-costas, foi aclamado como um herói, na época, por evitar um banho de sangue maior ao matar o agressor do candidato. Mas ao prender Gomes, o chefe do Ministério Público disse que ele estava no plano para se livrar de Pizarro e matou o agressor do candidato para mantê-lo em silêncio.

Gomez ainda trabalhava como um investigador da polícia criminal. A prisão vem em um momento em que os colombianos reexaminam o papel dos agentes corruptos do Estado em vários assassinatos de três candidatos presidenciais e outros políticos em meio a violência inflamada pelo tráfico de drogas há vinte anos. Fonte: Associated Press.