A Venezuela está esperando para este sábado uma decisão chave da comissão eleitoral do país sobre os detalhes da votação que irá definir o substituto o presidente Hugo Chávez. A constituição determina que as eleições sejam convocadas no prazo de 30 dias desde a morte de Chávez, no último dia 5.

Nicolás Maduro, vice-presidente do falecido líder esquerdista Hugo Chávez, foi empossado oficialmente como presidente em exercício do país na última sexta-feira.

Durante o juramento, Maduro se afirmou como filho ideológico de seu mentor e predecessor. “Ficamos totalmente satisfeito com o líder, o chefe que tivemos”, disse após de ser anunciado como presidente em exercício pelo líder da Assembleia Nacional, Diosdado Cabello.

Maduro será, ao mesmo tempo, líder temporário e candidato presidencial. O Supremo Tribunal da Venezuela decidiu, na sexta-feira, afirmando que “durante as eleições para o Presidente da República, o presidente em exercício não é obrigado a separar-se do cargo.”

Membros da oposição afirmam que a condição de Maduro é inconstitucional, já que ele está ocupando dois cargos ao mesmo tempo. O adversário mais provável de Maduro é o líder da oposição, Henrique Capriles. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.