As negociações internacionais de paz sobre o conflito na Síria poderão ocorrer no próximo mês, segundo o vice-primeiro-ministro sírio, Qadri Jamil. A autoridade afirmou que a aguardada conferência estava mais perto do que nunca de acontecer.

Questionado em uma coletiva de imprensa em Moscou se as negociações foram adiadas para final de novembro ou início de dezembro, o vice-primeiro-ministro sírio afirmou que a conferência poderá ocorrer em “23 e 24 novembro”.

A Rússia e países ocidentais liderados pelos EUA têm pressionado o regime sírio do presidente Bashar Assad a se reunir e tentar solucionar o conflito. A guerra civil na Síria já se estende há dois anos e meio e já matou cerca de 115.000 pessoas.

“Estamos mais perto do que nunca para realizar Genebra II”, disse Jamil a jornalistas depois de uma reunião no Ministério de Relações Exteriores da Rússia. Mas acrescentou que o prazo para a conferência era “hipotético”.

Ele disse que “não há alternativa” para a conferência de paz. “Hoje nenhum aspecto da crise síria pode ser resolvido sem isso”, disse o vice-premiê, acrescentando que as negociações têm de pôr fim à “interferência estrangeira” no conflito.

“Isso vai levar ao lançamento de um processo político e ao fim da violência.”

“Nós não podemos dizer ‘abre-te sésamo” para que o processo político comece imediatamente”.

Por outro lado, o chefe do Conselho Nacional Sírio, o maior membro da Coalizão Nacional da oposição, disse no fim de semana que seu grupo não participará das negociações.

Segundo Jamil, a posição do grupo não afetará os planos para a conferência.

“A recusa da Coalizão Nacional da Síria de participar em Genebra II não vai influenciar o cronograma e o formato da conferência”, disse o vice-premiê, segundo a agência de notícias RIA Novosti. “Eles tendem a reconsiderar” esta postura. Fonte: Dow Jones Newswires.