Um ataque de extremistas islâmicos contra tropas da União Africana (UA) e do governo da Somália deixou 15 mortos em Mogadiscio, informaram hoje funcionários e militares somalis. Moradores da região norte de Mogadiscio disseram que os insurgentes usaram metralhadores e granadas propelidas por foguetes contra bases das tropas de paz da UA e também do governo somali, em uma batalha que começou na noite de ontem.

Ali Muse, chefe do serviço de ambulâncias de Mogadiscio, afirma que foram contados pelo menos 15 mortos e 20 feridos foram transportados aos hospitais da capital somali. O coronel Abdullahi Hassan Barise, da força policial de Mogadiscio, confirmou o ataque. A violência foi retomada um dia após o Parlamento da Somália ter aprovado um voto de confiança no novo primeiro-ministro do país.

O fraco governo da Somália controla apenas alguns bairros e setores de Mogadiscio. A Somália não tem um governo efetivo desde 1991 e uma parte significativa do país já é controlada pelos insurgentes da rede extremista Al-Shabab. As informações são da Associated Press.