O Hospital de Chacao, o mais próximo aos arredores da Base Aérea de La Carlota, onde ocorreram confrontos entre partidários da oposição e militares pró-Maduro, disse ter atendido ao menos 50 feridos nos protestos desta terça-feira, 30.

Ao menos 30 deles foram feridos com balas de borracha e outros 16 tiveram traumas por pancadas. Outros três apresentaram problemas respiratórios por inalar gás pimenta e um teve ferimento a bala. O hospital tem recursos para tratar os feridos graças a doações feitas pela Cruz Vermelha.

Forças Armadas

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, considera que o apoio da alta cúpula das Forças Armadas da Venezuela ao oposicionista Juan Guaidó não foi confirmado ao longo do dia, como chegou a ser anunciado pelo presidente autoproclamado no início da manhã. Para Heleno, não há expectativa de solução no curto prazo para a crise no país vizinho e o cenário segue indefinido. “Não se sabe quanto tempo irá demorar para uma solução que leve à saída de (Nicolás) Maduro do País”.